Olhar Comum » Arquivo » 64 peças, ivan justen santana

64 peças, ivan justen santana

Litercultura - Curitiba, agosto 2015Ivan Justen Santana durante récita de poemas pertencentes ao livro “64 peças”, no Palacete Wolf, em Curitiba, em agosto de 2015.

Ivan Justen Santana é a unidade-síntese mais lapidada de duas vertentes que fizeram história em Curitiba nos cinzentos anos noventa. Do lado “paterno”, mascote da turma do Marcos Prado, o signo maior da marginalidade poética de uma ainda provinciana capital do Paraná. Do “materno”, frequentador assíduo tanto da UFPR quanto da USP.

Só um marginal feito o Ivan daria esta aula em versos metrificados, nos quebrando um suposto galho de leitura, ao dar a série da combinação de um cofre que talvez não abra o que de fato a poesia precisa abrir (ou seja, ele engana na cara dura): “(…) Usam-se seis palavras no fim de cada verso / repetidas a cada estrofe numa ordem combinatória:/ 123456, 615243, 364125, 532614, 451362 e 246531.

Assim, junto à temática do xadrez, ele propõe uma espécie de dianoia quebrada com o movimento de cada peça-poema, em contraste com a articulação do próximo poema-jogada. Está um passo à frente e um passo atrás do leitor – o poeta define o movimento na casa, mas só o destinatário pode efetuar o cheque-mate.

A contradição, unidade das 64 peças, é a marca de Justen, que mesmo em versos com braços esparramados – anônimos – consegue Justamente nos abraçar com a força de quem há muito não o fazia: “Droga! É impossível admitir isso, / impossível entregar o serviço, / mas vou admitir, vou entregar: sim, / droga, eu te amo. Como me amo, enfim, / como amo tudo e todos neste mundo. / Mas esqueço. Esquece. Esqueçam. Aqui / vai tudo que já vi, li e esqueci. / Agora o tempo não tem mais segundo.”

Para mim era inimaginável que o Ivan nunca tivesse publicado um livro. Por que? Afinal, quem é Ivan Justen Santana? Ele ainda vive? Sim! Este livro não é uma homenagem póstuma a uma figura restrita aos poucos sócios do club med da apreciação poética. Ivan está vivinho da silva, não se mudou para São Paulo, e Curitiba ainda não congelou sua potência criativa – este livro é a prova.

Alexandre França

Editado pela dezoito zero um cultura e arte – contato@alexandrefranca.com.br
Este livro você encontra na Livraria Arte & Letra – http://arteeletra.com.br/

CLIQUE E OUÇA – Barata Tonta, por Ivan Justen Santana

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

CLIQUE E OUÇA – Autoautópsia com grafias I, por Ivan Justen Santana

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

CLIQUE E OUÇA – Cemitério Aéreo, por Ivan Justen Santana

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.



Deixe seu comentário

Ao acessar, percorrer e utilizar o site www.gilsoncamargo.com.br e seus sub-domínios, você estará aceitando as condições e termos aqui expressos, sendo responsável único e exclusivo, perante terceiros, sobre a (i) veracidade, (ii) legalidade, (iii) exatidão e (iv) boa-educação das informações que prestar e gerar nas caixas de comentários, isentando o mantenedor da página, de forma irrevogável e irretratável, de qualquer reclamação oriunda do mau-uso da página, pelo usuário. Se tiver qualquer dúvida a respeito de tais atributos, não comente.