Olhar Comum » Arquivo » luz, lucidez e alucinação – fotos haroldo viegas

luz, lucidez e alucinação – fotos haroldo viegas

haroldoviegas011post.jpg

Caro (a) Sr. (Sra.):
Dois Bloody Mary preparados por mim mesmo (ou seja: duplos, ambos) justificam que eu comece a redigir este texto sem saber ainda a que destinatário o encaminharei. De mais a mais encontro-me, estranhamente em Goiás, do outro lado da linha das Tordesilhas. O que isto significa é algo que compete ao tempo elucidar.
(parágrafo, na outra linha) Suponho que o (a) destinatário (a) tenha surgido nestas plagas há mais de -pelo menos- três décadas e possa apreender minhas arcaicas gracinhas: fecha parênteses. Terá a falta de assunto produzido algum bom literato ao longo da história? Evidentemente os oradores estão excluidos. Pois! Pois, petit-pois. Vê-se que os efeitos daninhos do álcool na mente humana manifestam-se com surpreendente clareza.
O que tem me aborrecido sobremodo é esta empulhação do digital. Digital bom, para mim, é o dedo-médio estendido, em meio a seus irmãos dobrados – gesto que tardiamente surgiu em minha vida. O similar nacional -ora em desuso- era o OK dos nossos irmãos do norte, invertido. Pois. Não conseguiram ainda me convencer da superioridade dos sistemas digitais em relação aos analógicos senão pelo pouco tempo decorrente da leitura da publicidade ao uso de fato dos mesmos. Ora direis, ouvir válvulas! Com minha paranóica-perspicácia-multi-etí­lica, observei, com meus parcos recursos cartesianos, a abolição dos cristais nos equipamentos digitais, elementos estes fundamentais nos analógicos. Baseio-me basicamente nos aparelhos de reprodução ótica e sonora (lembra das agulhas?).
O impasse que deve se colocar, penso eu, é que o avanço tecnológico alcançou maravilhas no âmbito da simulação dos sentidos visuais e auditivos mas praticamente nenhum nos outros há longo considerados: o olfato, o paladar e o tato. Sendo assim, e para simplificar as coisas, vou ver se a massa do meu pão já cresceu e para tanto, encerro estas tolices.
Cordiais saudações.
Haroldo Viegas
agaviegas@terra.com.br

haroldoviegas019post.jpg

haroldoviegas028post.jpg

haroldoviegas014post1.jpg

mais fotos desta edição do trabalho de Haroldo Viegas



11 comentários para “luz, lucidez e alucinação – fotos haroldo viegas”

  1. Crise de “coisificação” « Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] (Foto: Haroldo Viegas) […]

  2. Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] (Foto: Haroldo Viegas) […]

  3. Azul « Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] (Foto: Haroldo Viegas) […]

  4. Azul, o Tempo « Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] (Foto: Haroldo Viegas) […]

  5. Haroldo Viegas « Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] (Fotos de Haroldo Vigas. Fonte: Olhar Comum, Gilson Camargo) […]

  6. 3º conferência estadual de aquicultura e pesca no paraná – canal da música – 11 e 12 de julho de 2009 « angelo vanhoni disse:

    […] Pescador na baía de Paranaguá, em foto de Haroldo Viegas. […]

  7. 3º conferência estadual de aquicultura e pesca no paraná – canal da música – 11 e 12 de julho de 2009 at Angelo Vanhoni disse:

    […] Pescador na baía de Paranaguá, em foto de Haroldo Viegas. […]

  8. Além do tempo « Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] (Foto de Haroldo Viegas, catalogada no Olhar Comum de Gilson Camargo) […]

  9. CARLOS UUREGO PAZ disse:

    HAROLDO : Que disfrute espiritual se siente cuando observo tus fotos, desde Cartagena Colombia, la ciudad mas linda de Colombia, muy cerca dlel mar. Soy arquitecto y amante de la fotografia disfrute de ella como docente y hoy dia un poco olvidado pues economicamente no he tenido para comprar lo que seria una buena camara digital, en comparacion y remplazo de mis dos camaras reflex , las cuales disfrute, en su epoca. Hoy dia soy docente de Ingles y trabajo la arquitecurao en menor porcenrtaje que esta ,pero amo todo el arte que me rodea y mas identificarme con el arte brasiler0 a travez de tus fotos ademas que soy hijo de braasiilera de Manaus, del barrio de la cachuerilla. ya fallecida , adoro Brasil, en todo el sentido de la palabra, la musica la llevo entre las venas y su cultura me trasporta a un medio que me inspira para haber nacido v qu deciaria vivir mis ultiimos años, mas Dios aun me tiene en esta bella ciudad. Felicitaciones eres un angel haciendo arte fotografico. Fijate no encontre tu nombre por casualidad . Lo que acontece es que ando buscando un Haroldo Viegas de CABO FRIO, quien conoci en la Florida y a quien deseo encontrar de nuevo para visitar su familia y asi iniciar un trampolin para gozar de Brasil, me gustaria dar clases de Ingles a los necesitados, ya que ellos no tienen para pagar un gran diseño arquitectonico, .Bueno espero seguir en contacto contigo si tambien gustas, hasta con la posibilidad que hagas una exposiciion en esta ciudad , hay varias galerias que estan enteresadas, pues es poco lo que se conoce de arete brasilero pero se admira muchicimo y asi podrias conocer estos bellos angulos que tiene la ciudad y sus noches, es una ciudad de encantos , dulzura y mucho sabor . Que tengas una buena semana abrazo, CARLOS URREGO

  10. andréia aparecida de souza disse:

    carlos uurego paz : catalogando o trabalho de viegas e sua inserção na midia virtual encontrei tão grato comentário.
    estamos construindo um blog para divulgação e venda da vasta obra do fotografo-artista. brevemente será divulgado o endereço.
    quanto ao seu amigo de cabo frio boa sorte na procura, e, se vier a cabo frio quem sabe nos faz uma visita moramos no rio de janeiro relativamente perto.
    andreia

  11. Espírito | Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] (Foto de Haroldo Viegas) […]

Deixe seu comentário

Ao acessar, percorrer e utilizar o site www.gilsoncamargo.com.br e seus sub-domínios, você estará aceitando as condições e termos aqui expressos, sendo responsável único e exclusivo, perante terceiros, sobre a (i) veracidade, (ii) legalidade, (iii) exatidão e (iv) boa-educação das informações que prestar e gerar nas caixas de comentários, isentando o mantenedor da página, de forma irrevogável e irretratável, de qualquer reclamação oriunda do mau-uso da página, pelo usuário. Se tiver qualquer dúvida a respeito de tais atributos, não comente.