Olhar Comum » Arquivo » octávio camargo – ao redor da mesa/around the table/um den tische

octávio camargo – ao redor da mesa/around the table/um den tische

aoredordamesa_foto_gilsoncamargo_ctba_pr_brasil4567.jpg

“Ao Redor da Mesa” de Octávio Camargo e Rafael Carletto.
Ensaio geral na residência de Maria Celi Santos de Camargo e estréia no Teatro Paiol, em Curitiba
, em novembro de 1999.

Elenco: Pita Belli, Octávio Camargo, Cristiane Macedo, Lori Santos, Mauro Zanatta e Eliane Campelli.
O texto foi traduzido para o inglês e alemão e apresentado em Copenhagen e Berlim em 2007.

teatro_ao_redo_-da_mesa_foto_gilsoncamargo_ctba_brasil1.jpg
teatro_ao_redo_-da_mesa_foto_gilsoncamargo_ctba_brasil.jpg

1
d – A morte vem sem que se perceba. Por muito achamos que ela nos esqueceu
e – Pouco importa, ele vencerá de qualquer jeito. hoje em dia a televisão elege quem quiser.
d – É natural que se morra algum dia, mas é muito triste ver uma pessoa tão boa morrer com tanto sofrimento. Ainda mais nestas condições.
e – Todo mundo sabe disso. Mas o investimento maior só acontece nas proximidades das eleições. Em dois meses, ou até menos eles mudam a opinião pública.
d – Quem é que vai falar umas palavras amigas, ou debruçar-se sobre o caixão e chorar? e a outra familia, como vai ficar? Quem vai alimentar aquelas crianças?
e – Infelizmente o dinheiro manda na comunicação e vencerá sempre o candidato que estiver de bem com a maior soma.
d – Acho mórbido
e – Não se preocupe, se ele bater as botas, logo aparece um substituto. Dinheiro não tem nome. Eles fizeram o Collor em um ano.
d – O abandono é terrivel. Eles se amavam como cão e gato. Não me surpreenderia se a velha batesse as botas
e – O que precisamos é de uma esquerda forte.
d – Esquisito ou não, não vivemos sem ela. O amor é um martírio.
e – Fraca pela organização truncada de seus representantes.
d – É um equilíbrio bêbado que chega em casa.
e – Roberto Freire?
d – Ela vai sentir falta hoje é das pequenas coisas que faziam juntos.
e – Ele não é meu candidato, apenos vejo e falo o que está na cara. A vitória é dele!
d – (rindo) E a paixão para eles se foi muito antes.
e – Ora, se não for ele o candidato eleito, sera quem então? O Lula?
d – Agora fica só o vazio da existência.
e – O que você acha da sua direita?
d – Cada novo dia é a redescoberta de uma ausência. Depois do choro convulsivo vem a verificação serena da falta da pessoa amada
e – Eu tenho certeza que vou ficar contigo esta noite
d – Ai, ai, ai…
e – Só assim para quebrar o gelo desse assunto chato de política
d – A morte, por muito tempo parece apenas uma palavra distante
e – Eu quero ver você sorrir
d – Pobre Antônia, que deus a tenha!
e – Se você quiser, eu faço mímica!

2
d – Eu o odeio! O meu voto jamais terá. Não se pode enganar o povo assim. Não podemos tolerar este tipo de política.
e – Sim, estou louca para ver a seleção.
d – Ele é um ladrão, e tem mais, deu numa pesquisa que ele é o candidato de menor aceitação popular.
e – Mas que tolice, hoje em dia o estádio é cheio de mulheres. Tem até torcida feminina organizada.
d – Aposto contigo que ele não se elege. è impossível que o povo ainda acredite nesta fantasia.
e – Deixe eles irem com os amigos, e nós, as mulheres, vamos juntas. Esse papo de penalti, impedimento, pouco me importa. bom mesmo é ficar olhando as pernas dos jogadores.
d – Isso é verdade. Resta a esperança do velho não aguentar até as proximas eleições.
e – É melhor a gente escolher bem a torcida. Algumas são violentas, e se descobrirem que torcemos para outro time podem querer tirar a nossa blusa.
d – Bem, aí eu concordo com você.
e – Então vamos nas cadeiras, é ate melhor de ver o jogo.
d – Mas nossa esquerda é tão fraca.
e – Sim. Mas tem mais segurança, e se você não tiver dinheiro eu lhe empresto.
d – Tem um nome dentre eles que me parece o mais certo para tomar a diretriz e levar o país à vitória.
e – Vou! Eu ganhei uma camisa na última copa.
d – Sim, ele é inteligente, e tem força. Ontem mesmo eu vi a defesa dele sobre a quetão da miséria, direcionada ao presidente do senado, o ilustríssimo candidato, o ACM.
e – Em bom palavreado, eu acho que o Ronaldinho se cagou.
d – Para mim não é tão claro assim, senão direi fosco.
e – É a nova Xuxa. Até o narizinho batatão ela tem igual. lembra como era o da Xuxa?
d – (rindo) Não. Será outro. Se possível da esquerda, como o que já mencionamos, ou até o Cristóvão Buarque.
e – Voce acha que uma mulher burra tem um homem daqueles?
d – O que você quer dizer com isso?
e – Diz que levou um vareio! só não ficou de quatro porque Deus é grande.
d – Seu atrevido!
e – Sofrer por causa de homem é coisa de viado.
d – Eu estava flando sério.
e – Ou foi, ou será, ou vai ser!
d – Você está sendo infantil
e – Tô sabendo.
d – Gracinha!

3
d – Você vai ao jogo na sexta?
e – O chefe do Exército tomou o governo e afastou o Premier civil que negociava a paz com a índia
d – O Marcelo não quer que eu vá. Diz que não é programa de mulher.
e – Novamente paira sobre nós o perigo de uma catástrofe nuclear.
d – Ele disse que vai com os amigos e que ninguém leva a mulher. diz que eu vou ficar perguntando a toda hora o que é impedimento, se foi falta e essas coisas.
e – Mas agora o medo é ainda maior porque o número de países que possuem armas nucleares aumentou e a qualquer momento elas podem ser utilizadas.
d – Temos que ficar longe deles no estádio. O Marcelo não vai gostar de me ver por lá.
e – É difícil ser indiferente a possibilidade de tudo explodir.
d – Deus me livre!
e – Tem seu sentido. Nenhum dos dois vai lançar esta bomba com o risco de também ser destruido
d – Só que é mais caro
e – É a guerra do século vinte e um
d – Então que seja assim. Você vai com a camisa da seleção?
e – Os portuguesesquando chegaram na américa mataram milhares de índios em nome de Cristo.
d – Você sabe que eu não entendo até hoje aquele último jogo.
e – As guerras vem matando muito.
d – Pois é, esta história nunca colou. E aquela namoradinha dele. Putinha, não?
e – É o ocidente que primeiro “corrigiu” os negros, depois os índios, e agora também pretende corrigir o oriente.
d – Agora diz que vai casar. Eu vi ela falar na televisão. Burrinha!
e – Os haréns ofendem o pudor de nossas donas de casa.
d – Ela é muito experta. Você sabia que o Internacional perdeu de novo?
e – E ainda acham que estão melhorando aquela gente.
d – O Marcelo tomou um porre uando soube desta
e – Coitados. Não sabem o que fazem!
d – Você acha que o marcelo é gay?
e – È inevitável.
d – Boto fé no taco do meu marido!

4
d – Você soube da atual crise no Paquistão?
e – Primeiro você pica a cebola, corta o tomate, mói tres dentes de alho, rala bem as batatinhas, e mistura tudo numa panela com azeite e sal a gosto.
d – O Paquistão possui armamento nuclear. São belicosos e tratam muito mal as mulheres. Uma mera suspeita de adultério é motivo para uma execução.
e – Sim, forte! Para dourar por fora e não tirar a substãncia da verdura.
d – O mesmo que nos vem asssombrando em relação à Rússia, a Líbia, ao Iraque, a Iuguslávia e a tantos outros países.
e – Eu costumo comer com rosbife. Mas é um acompanhamento para quaquer tipo de carne.
d – Eu acho que é melhor não pensar muito nisso.
e – Esta é a última parte. Antes de servir acrescente umas pitadas de canela e nós moscada. Há quem ponha também orégano, mas eu não aconselho.
d – Olha, a bem da verdade, eu não acredito que esta bomba seja lançada. Todos a possuem, e por isso, a possibilidade dela ser lançada é menor, senão, todos morrem.
e – Olha, se voce fizer o Rosbife, um bom vinho tinto.
d – A guerra virou um botão vermelho ou mesmo preto.
e – Vai da preferência. Eu gosto de um vinho bem seco.
d – Tantas guerras, mas nada matou mais do que a igreja
e – Sim, muito bom! Ele é feito de várias uvas. Se não me engano é do Vale dos Vinhedos.
d – No Paquistão mesmo vem morrendo gente a anos com os conflitos religiosos.
e – Ora, então faça o seguinte. Coloque um pouco de semente de papoula. É afrodisíaco.
d – Genocídio religioso!
e – Sim, pode colocar também na salada pétalas de rosa.
d – Clinton acha errado que as mulheres árabes usem turbante.
e – O que é que tem?
d – Por isso jogam bombas, sem dó nem piedade.
e – Uma pitada.
d – Hipócritas!
e – Você realmente não entende nada do assunto.
d – Tudo o que é possível, um dia acontecerá!
e – Olha, uma pitada, em outra forma de dizer, é como uma relação. Você põe um pouco de ciúmes, um tanto de cada sentimento, porém se puser demais, salga.

5
d – O Jonas me disse que você faz um molha magnífico. C000onta pra mim qual o segredo.
e – Essa idéia de Deus tem sido o estandarte de formas terríveis de dominação, fazendo muitas pessoas se reunirem nos mesmos lugares e dizerem as mesmas coisas.
d – Em fogo forte?
e – De que me adianta ter uma vida casta e moderada se perdi minha alma? Se sorrio sempre do mesmo jeito e não me sento sem cruzar as pernas, se meus gestos são trejeitos e minhas mãos não me saem dos bolsos?
d – Mas isso se como com o que?
e – Desculpe, mas te achei afetado demais para um pregador de virtudes. não faria este comentário se o assunto fosse menos sublime.
d – E os temperos especiais que eu ouvi falar?
e – Não quero seguir nesta conversa. Tenho aversão a religiosidade, assim como a cartão ponto e lojas de loterias.
d – Qual bebida deve acompanhar?
e – Eu já disse que este assunto de religião me incomoda, e não leva a nada. Mas se lhe satisfaz, fui batizada na igreja católica. Mas não frequento.
d – Seco?
e – Estaria, se acreditasse nos fanatismos religiosos.
d – Você já experimentou o Miolo?
e – Fanatismo por sua exaltação, por não aceitar outras opiniões, e finalmente por ser um laranja.
d – Sabe, este jantar vou fazer para uma mulher que conheci numa dessas baladas, sabe como é, ela estava ali com o seu jeitinho. Olha, confesso que fiquei louca de tesão.
e – Só sendo sarcástico para aturar esta discussão.
d – Na carne?
e – Discutir religião e futebol é de se perder o amigo.
d – E o sal?
e – Você quer conversar ajoelhado?
d – Quanto?
e – Então você concorda comigo que a posição de orar é de castigo. Só falta o milho!
d – Uma pitada?
e – Você está querendo me comover? Assim vou às lágrimas
d – Absolutamente nada.
e – Fazer exaltações à virtude é uma forma covarde de oprimir o próximo. O que foi que eu te fiz pra você querer me dar uma lição?
d – Arde?
e – Quem quer ser salvo considera-se perdido

6
d – Todo vir-a-ser e crescer, tudo o que o futuro nos prepara é feito por Deus e só nele podemos crer.
e – Minha avó, que já tem seus noventa e tantos diz que fez um pacto com a morte. Se a morte não a perseguir ela não foge dela.
d – não dizem as mesmas coisas. levam a palavra divina, consolam uma pessoa triste, ajudam um irmão a comprar um terno, prpõe uma vida honesta e digna.
e – Ele não merecia isto! Morre cedo quem os deuses amam.
d – Você está ridiularizando a minha pessoa. Espero que não seja para me ofender
e – nestas horas só a beleza pode consolar. eu poderia dizer um poema. Que tal aquele sobre o aniversário… “no tempo em que festejava o dia dos meus anos, eu era feliz e ninguém estava morto….”
d – Você quer que eu me vista de monge para falar de deus?
e – Veja só o estado da viúva. Sempre fez questão de demonstrar abertramente o desprezo que sentia pelo marido. Agora só falta arrancar os próprios cabelos
d – Você é católico?
e – As formas de amar, são no mínimo esquisitas
d – Vejo que você está perdido.
e – è como uma espada atravessada no peito. Uma sobreposição de afeto e de dor.
d – fanatismo você diz de uma pessoa que ora para o todo criador? Ele, nosso criador, nosso conselheiro, nosso caminho, nossa luz límpida como o Sol, este mesmo sol que nos aquece, que foi feito por ele, o todo poderoso…..criador de todas as coisas
e – Mas dorme para fora. Quantas vezes dormiu naquele sofazinho. cabia só metade de seu corpo.
d – Não seja sarcástico
e Um relacionamento, a meu ver, são as pequenas coisas. As grandes são atributos das paixões
d – me ofende.
e – A paixão é a primeira a se despedir
d – Não compare a divina arte de Deus e seu ofício com as discussões mundanas e o embate de vaidades
e – E o calor gelado dos lençóis
d – não estou de castigo.
e – Só damos valor ao que temos depois de já não termos mais.
d – veja bem, a oração pode ser feita em quaquer posição. para mim, faço de meu mero estar uma reza.
e – è, Deus dá com uma mão e tira com a outra
d – Impossível conversar com você!
e – Para mim sempre foi presente. Perdi meus pais muito cedo. Os que mais amei na vida me foram tirados um a um, e recentemente, perdi minha mulher.
d – Espero que a vida lhe seja leve, e que você nunca precise ter fé para seguir vivendo.
e – Saudade!

aoredordamesa_foto_gilsoncamargo_ctba_pr_brasil456a.jpgaoredordamesa_foto_gilsoncamargo_ctba_pr_brasil456.jpg

links:
Ao Redor da Mesa em Berlin – versão integral do texto em alemão
Ao Redor da Mesa em Copenhagen



Deixe seu comentário

Ao acessar, percorrer e utilizar o site www.gilsoncamargo.com.br e seus sub-domínios, você estará aceitando as condições e termos aqui expressos, sendo responsável único e exclusivo, perante terceiros, sobre a (i) veracidade, (ii) legalidade, (iii) exatidão e (iv) boa-educação das informações que prestar e gerar nas caixas de comentários, isentando o mantenedor da página, de forma irrevogável e irretratável, de qualquer reclamação oriunda do mau-uso da página, pelo usuário. Se tiver qualquer dúvida a respeito de tais atributos, não comente.