Olhar Comum » Arquivo » pé com cabeça – octávio camargo – curitiba 1995

pé com cabeça – octávio camargo – curitiba 1995

pecomcabeca1999_foto_gilsoncamargo1web.jpg

Pé com Cabeça aconteceu numa manhã de sábado, no dia 14 de fevereiro de 1995, das 9h00 às 11h00, na Rua XV de Novembro, em Curitiba, Brasil. Consistia no simples ato de deitar em silêncio por duas horas, e depois ir embora (evadir). 25 pessoas participaram da ação. Foi um evento não esperado (intervenção).
Na frente do primeiro da fila havia uma estante de musica com as palavras “Pé com Cabeça” escritas numa folha de papel. Pé com Cabeça é uma expressão idiomática da língua portuguesa para algo que tem início e fim. Primeiramente a performance é uma ação metafórica. Ela expressa literalmente a frase em sua ambiguidade. As pessoas deitadas na rua faziam uma reprodução múltipla da metáfora. O outro lado da metáfora está no “nonsense” da atividade apresentada em um espaço público (rua) de maneira não esperada (sem ter sido anunciada na midia e sem indicativos a respeito de seu conteúdo). Desta forma, os passantes ficavam a pensar sobre o significado (as motivações) da ação. No final da performance os participantes deixaram o local em silêncio, sem qualquer interação com o publico, de forma a restar uma questão em aberto.

pecomcabeca1995_foto_gilsoncamargo.jpg

Pé com Cabeça took place on the february 14th, 1995, a saturday morning, from 9:00 a.m to 11:00 a.m. on Rua XV de Novembro, in Curitiba, Brazil. It consisted of this simple action of lying down in silence for two hours and then evading. There were 25 participants. It was an unexpected event (intervention).
In front of the first person in the line there was a music stand with the words “Pé com Cabeça” written on a sheet of paper
Pé com Cabeça is an ideomatic expression in Portuguese for something with a beginning and an end, something that makes sense. Maybe it could be translated for “head to toe”, or “head and tail”. First the performance is a metaphorical event. It expresses literaly the phrase in its ambiguity. The people lying on the street were building a multiple reproduction of the metaphor. The opposite side of the metaphor is the nonsense of the activity presented in a public space (street), in an unexpected manner (unannounced in the media, and not marked as an artistic event) In this way, passers-by would wonder about the meaning (reasons) of the action. When the performance ended the participants ‘evaded” (they left the place in silence without any interaction with the public, so that a question remained about the action).

Texto publicado pela Errant Bodies Press, na antologia Surface Tension, Problematics of site.

http://www.errantbodies.org/surfacetension.html
www.errantbodies.org

surface_tension_cover.gif

The Site-Specificity of Everyday Life
Art Journal, Fall, 2005 by Jill Dawsey

pecomcabeca1999_foto_gilsoncamargo4web.jpg



Um comentário para “pé com cabeça – octávio camargo – curitiba 1995”

  1. Catatau disse:

    Nossa, impressionou foi o número de pessoas no calçadão, comparado a um sábado de manhã de hoje em dia!

Deixe seu comentário

Ao acessar, percorrer e utilizar o site www.gilsoncamargo.com.br e seus sub-domínios, você estará aceitando as condições e termos aqui expressos, sendo responsável único e exclusivo, perante terceiros, sobre a (i) veracidade, (ii) legalidade, (iii) exatidão e (iv) boa-educação das informações que prestar e gerar nas caixas de comentários, isentando o mantenedor da página, de forma irrevogável e irretratável, de qualquer reclamação oriunda do mau-uso da página, pelo usuário. Se tiver qualquer dúvida a respeito de tais atributos, não comente.