Olhar Comum » Arquivo » prisão provisória de curitiba – penitenciária do ahú – desativada desde julho de 2007 – paredes que falam

prisão provisória de curitiba – penitenciária do ahú – desativada desde julho de 2007 – paredes que falam

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro64

O edifício da Prisão Provisória de Curitiba na Avenida Anita Garibaldi, no bairro Ahú, foi construído em 1896, para o funcionamento do Asilo para Alienados Nossa Senhora da Luz, iniciativa da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia, desenvolvendo ali suas atividades desde 1903.

hospicio_nossasenhoradaluz_curitiba_1903
Inauguração do Hospício Nossa Sra da Luz – 25/03/1903.
foto: arquivo DEPEN/PR

Por meio de acordo firmado em 28 de abril de 1905 com o Governo do Estado pelo então presidente do Paraná Francisco Xavier da Silva, o prédio foi considerado espaço apropriado para se tornar um presídio.
Inaugurado em 1909 e efetivada a compra do terreno de 300 mil metros quadrados
pelo Estado, cuja escritura foi lavrada no Cartório do Primeiro Distrito de Curitiba, a capacidade inicial da primeira penitenciária do Paraná era de 52 celas individuais, e foram transferidos da cadeia para a penitenciária 55 presos, sendo 49 homens e seis mulheres homicidas.

corredor_fevereiro tipografia
Corredor térreo e oficina de tipografia em 1909.
foto: arquivo DEPEN/PR

O regime adotado era o de “Auburn”, que previa o encarceramento celular durante a noite, e o trabalho em comum durante o dia, sob regimento de silêncio. Os funcionários encarregados da administração penitenciária residiam em casas anexas ao presídio.

casa_dos_funcionarios
Residências dos funcionários em 1909.
foto: arquivo DEPEN/PR

Desativado desde 11 de julho de 2007 para dar espaço à construçào do Centro Judiciário do Paraná (link para o projeto arquitetônico de  Braulio Mattana Carollo, Orlando Pinto Ribeiro e Luis Salvador Petrucci Gnoato) – um ano e meio depois da transferência do último detento – as paredes que já tiveram ouvidos, falam e trazem o depoimento dos seus últimos hóspedes.

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro1

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro47

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro3

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro21

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro59

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro18

Uma nova ala que ampliou o espaço para alojar 350 presos foi construída em 1958. No ano de 1977 realizou-se a construção da portaria externa e a administração do presídio. Na data de sua desativação a PPC abrigava cerca de 900 internos. No complexo funcionavam em alas distintas, além da própria penitenciária, a unidade de regime semi-aberto feminina, o Departamento Penitenciário e o Centro de Observação Criminológica e Triagem.

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro66

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro45

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro2

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro4

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro6

A unidade do Ahu contava com seis galerias e 154 celas, além de refeitório, pátio, consultórios, enfermarias, seis salas de aula, sala de atendimento técnico, lavanderia, biblioteca, oficinas de marcenaria, costura de bolas de futebol, pintura, panificadora, artesanato, reuniões periódicas com grupos de auto-ajuda como Alcóolicos Anônimos e cultos ecumênicos, duas cozinhas e 24 quartos para visita íntima.

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro65

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro54

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro53

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro68

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro69

Além de 4 celas solitárias localizadas no subsolo, sem nenhuma incidência de luz e ao lado da tubulação de esgoto da construção. Um lugar realmente sinistro.

presidioahu_ctba_foto_gilsoncamargo_2009fevereiro35

Fotografias realizadas no dia 21 de fevereiro de 2009 – sábado de carnaval.



22 comentários para “prisão provisória de curitiba – penitenciária do ahú – desativada desde julho de 2007 – paredes que falam”

  1. katia horn disse:

    nossa, gil! essas dos corredores cheios de portas abertas tão demais!! a seleção toda é muito boa, é uma expo pronta…
    carnaval aqui em ctba é mesmo uma coisa meio presa, mas o seu foi literal demais…hehe
    pode se soltar um pouquinho…
    bjo

  2. Gilson Camargo: falas do Presídio do Ahú no sábado de carnaval « Curitiba é um copo vazio cheio de frio disse:

    […] Vale a pena conferir o post na íntegra: Olhar Comum. […]

  3. Bárbara disse:

    Gilson,
    Impressionante. Que puta registro!!

  4. Luiz Soares disse:

    Ola amigo! Nao sou de ficar fazendo comentario, mas eu queria parabeniza-lo pelo otimo site que voce tem! Continue com esse otimo trabalho!

  5. jan disse:

    paredes que falam
    e só as paredes ouvem…

  6. Antonio Mendes disse:

    Grande registro… muito bom… as imagens conseguem transmitir o “clima” do lugar. Dá pra viajar legal imaginando tudo o que deve ter acontecido por lá.

    É isso!

    Antonio.

  7. Marcelo De Angelis disse:

    (…) Assim, trancaram-nos ?té quase meio-dia;
    E eis o sino afinal..
    Nossos guardas abriram cada cela à escuta
    Com tinir de metal,
    E cada homem deixou, pelos degraus de ferro,
    O Inferno pessoal. (…)

    Oscar Wilde – A Balada do Cárcere de Reading
    Tradução de Paulo Vizioli

    Blogada impressionante, Gil. Mais ainda se considerarmos a data em que foi feita: em pleno período de folguedos momescos.
    De qualquer forma, um registro imprescindível e profissa. Um momento de silêncio em meio à batucada. E eu aqui, brincando com as palavras, juntando letrinhas, escandidndo significados, enquanto paredes guardam segredos que ninguém quer ouvir.

    deangelix.wordpress.com

  8. lucilia disse:

    Adorei estas fotos!Parabéns!

  9. maureen miranda disse:

    Olha…Gilson,fotos incríveis…mas a última ,realmente,parece uma ilustração…AMEI…parabéns!!!

  10. Claudia disse:

    Trabalho incrível. Será que posso reproduzir algumas de suas fotos no meu blog (com o devido crédito, é claro!)? Gostaria de fazer uma análise delas.
    abraços

  11. nilsom disse:

    muinto legal; tambem matei minha curiosidade meu avõ cumpriu pena nesse presidio.

  12. Barbara disse:

    Adorei esse post.

  13. jussara pereira disse:

    Hoje pela primeira vez fui conheçer o presidio , e confesso que fiquei chocada com o que pude ver… sentir e imaginar..! O sofrimento ali dentro éi muito grande… parecia que eu sentia o cheiro ainda dos detentos , naquelas celas super pequenas , com agua fria para tomar banho, e o desespero daqueles detentos clamando por Deus…por misericordia. Olha ! aquilo tudo que eu vi , me fez dar muito mais valor a vida , a respeitar mais as pessoas e valorizar muito mais minha liberdade… porque aquilo nao pareceu lugar para seres humanos… !!

  14. rodrigo celestino marques disse:

    é de dar medo

  15. SANDRO disse:

    CUMPRI PENA NA PRISÃO PROVISÓRIA DE CURITIBA, ATÉ A REBELIÃO OCORRIDA NO ANO DE 2002, CONHECI CADA CANTO SINISTRO, QUE REALMENTE NÃO ME TRAZEM BOAS LEMBRANÇAS SÓ CONSIGO OUVIR OS GRITOS DE DOR DE ANGUSTIA DOS PRESOS, O OLHAR ASSUSTADO DAS FAMILIAS QUANDO ADENTRAVAM NAQUELE PÁTIO MÓRBIDO, AINDA QUE FOI PINTADO COM GRAVURAS ALEGRES, POR CAUSA DAS CRIANÇAS QUE VISITAVAM SEUS FAMILIARES. HOJE O MODAL PRISIONAL É MENOS HUMANO, UMA VERDADEIRA FÁBRICA DE MONSTROS, SÃO 22 HORAS DE TRANCA PARA DUAS HORAS E SEM, SEM ESCOLA DIGNA, SEM OFICINAS DE TRABALHO CAPAZ DE ATENDER TODA A DEMANDA DOS PRESOS, PELO MENOS ENQUANTO ESTIVE LÁ SÓ NÃO TRABALHAVA NO INTERIOR DA PRISÃO OS QUE SE RECUSAVAM AO TRABALHO… MAS BOM TRABALHO (MUITO VISUAL) DAS REALIDADES DA PRISÃO…

  16. valdecir jose dos santos disse:

    eu gostaria muito de conheser muito o predio do ahú muito interesante at+

  17. Eduardo dos Santos disse:

    Cumpri pena no período de julho de 1994 a abril de 1996, apesar de não ter acontecido nenhuma rebelião neste período foi um tempo perdido e que não deixou saudades. Mas apesar de tudo serviu de experiência de vida e apesar das limitações ajudei muitas pessoas que não tinham realmente nada, eu trabalhava na enfermaria e sempre dava um jeito de ajudar os mais necessitados. Uma pessoa que sempre vou lembrar pela sua simpatia e vontade de ajudar o próximo, Drª Claudete que fazia de tudo para ajudar. Nem sabia sabia que tinha sido desativado, hoje moro no outro extremo do Brasil, em Roraima, mas ainda penso em passar pelo menos Avenida, afinal a gente só conhecia o prédio por dentro.

  18. IVANETE RIO BRANCO disse:

    ola amigo gostei muito de ver essa materia pois meu finado irmao ja passou por esse lugar sinistro tambem e gostaria de pedir sua ajuda para encontrar um que tambem passou pelo ahu e nunca mais tive noticias ;gostaria de saber se ainda esta vivo ou nao me ajuda por favor seu nome e;ADEMIR FERNANDES de OLIVEIRA ;VULGO FEINHO.

  19. fabio sanches de angelo disse:

    Ola meu nome e fabio estive nesse presidio pouco antes dele ser desativado foram um ano e sete meses ai dentro hoje olhando essas fotos me veio as lembranças me lembro do mal cheiro das seis galerias do clima tenso e carregado desse lugar e das historias que guardam esses corredores.
    Mas apesar de tudo melembro das pessoas que conheci do time do fluminense do cara preta e do fut da sexta feira jamais esquecerei .

  20. George Hamilton ge disse:

    Lá aonde o filho chorava e a mãe não via foram 1 ano de agonia e desespero na verdadeira residência do diabo só lamento pelas avidas que morreram lá

  21. Patricia disse:

    Nossa olhando estas fotos me vem a mente tudo que la foi vivido,todo o sofrimento,angustia,mortes, nossa, gostaria muito de conhecer este lugar,tanta historia desde antes da penitenciaria,quando ainda era um hospicio.
    Tanta historia a ser contada.
    Parabens pelo trabalho fotos incriveis.

  22. casemiro disse:

    compri pena ai de 1998 a 2000 sobrevivi trabalha na cozinha andava todos galeria conheci tanta gente boa e ruim tambem passe por uma rebelhiao nao existe coiza pior tençao flor da pele tinha muita gente boa ai na epoca aprendi dar valor cada coiza cada momento de liberdade pior coiza quando famila vai embora das visitas tinha foncionario umano tambem tinha muitos corupito na epoca nao deixou saudades apesar ter sido escola da vida

Deixe seu comentário

Ao acessar, percorrer e utilizar o site www.gilsoncamargo.com.br e seus sub-domínios, você estará aceitando as condições e termos aqui expressos, sendo responsável único e exclusivo, perante terceiros, sobre a (i) veracidade, (ii) legalidade, (iii) exatidão e (iv) boa-educação das informações que prestar e gerar nas caixas de comentários, isentando o mantenedor da página, de forma irrevogável e irretratável, de qualquer reclamação oriunda do mau-uso da página, pelo usuário. Se tiver qualquer dúvida a respeito de tais atributos, não comente.